Associação

56º CONGRESSO DA ADJORI FOI UM SUCESSO

A cidade de Nova Prata, na Serra Gaúcha, foi a sede do 56º Congresso de Jornais do Interior associados à Adjori/RS e 1º Encontro de Jornais do Interior do Brasil, tendo por local o Centro de Eventos da Câmara de indústria e Comércio. A Associação dos Jornais do Interior recebeu diretores de dezenas de jornais associados e de periódicos do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Sergipe entre dias 14 a 17, para uma pauta variada de temas que abordaram o momento atual dos jornais e perspectivas para o futuro. Foram dias de debates, trocas de experiências, integração e lazer na hospitaleira cidade que oportunizou a todos saborearam a gastronomia e conhecerem seus pontos turísticos.

A cidade de Nova Prata, na Serra Gaúcha, foi a sede do 56º Congresso de Jornais do Interior associados à Adjori/RS e 1º Encontro de Jornais do Interior do Brasil, tendo por local o Centro de Eventos da Câmara de indústria e Comércio. A Associação dos Jornais do Interior recebeu diretores de dezenas de jornais associados e de periódicos do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Sergipe entre dias 14 a 17, para uma pauta variada de temas que abordaram o momento atual dos jornais e perspectivas para o futuro. Foram dias de debates, trocas de experiências, integração e lazer na hospitaleira cidade que oportunizou a todos saborearam a gastronomia e conhecerem seus pontos turísticos.

A ausência do presidente da Adjori, Renato César de Carvalho, que está hospitalizado há mais de um mês em Cruz Alta, foi sentida por todos seus colegas que o homenagearam. Carlos Zancan, diretor do Jornal Popular, anfitrião do encontro juntamente com a diretora Cláudia Graff, saudou os visitantes, destacando a importância do evento para fortalecer os jornais do interior e propôs e o Congresso levou o nome de Renato Cesar de Carvalho, como justa homenagem ao homem que empenhou pelo evento ao longo de meses. O comando da entidade foi assumido pelo vice-presidente Jair Francisco de Souza, que saudou os congressistas na abertura oficial do evento e resumiu as ações que estão sendo empreendidas na entidade, como a recuperação da Centro de Cultura e Lazer na Praia de Capão Novo, além de todo esforço para a realização do Congresso. O prefeito de Nova Prata,Volnei Minozzo, falou do orgulho da cidade em receber um congresso de Jornais pela segunda vez na história, pois a Adjori realizou o 39º Congresso no ano de 2001 em Nova Prata.

A justa homenagem ao político ilustre

Quando governador do Estado Pedro Simon deu uma atenção muito especial aos jornais do interior, através da Adjori, que na época conquistou a sua sede e empreendeu em sua Colônia de Férias. Como político, Pedro Simon tem seu nome muito respeitado em todo Brasil, tendo sido deputado e senador e um dos que fez frente à marcha das Diretas Já- que pedia eleições diretas e o fim do Regime Militar na década de 80.

Pedro Simon foi homenageado especial na abertura do 56º Congresso de Jornais, tendo recebido uma placa de reconhecimento entregue na ocasião pelo presidente em exercício da Adjori, Jair Francisco de Souza, pelo proponente da homenagem, Carlos Saraiva- do Jornal de Capão, e pelo diretor do Jornal Popular de Nova Prata, anfitrião do Congresso, Carlos Alberto Zancan. Simon agradeceu o reconhecimento e fez uma viagem no tempo, lembrando passagens históricas que marcaram a vida política sua e do Brasil. Disse que mesmo estando por completar 90 anos dia 31 de janeiro próximo, pensa em fazer uma mobilização nacional pela continuidade de Lava-Jato e Prisão em 2ª Instância, pois se pararem com a Lava-Jato não sabe o que será desse Brasil, mergulhado em corrupção.

Jornais chamados a ajudar com a verdade

A desembargadora Marilene Bonzanini, presidente do Tribunal Regional Eleitoral, chamou a imprensa do interior a contribuir para com a verdade ante as notícias falsas que ganham espaço na internet. Ela destacou que as fake news deturpam a sociedade e que os jornais têm papel importantíssimo no processo. Marilene falou que o jornal tem um valor muito especial quando se compara à internet, pela credibilidade que a escrita em papel carrega ao longo de sua história.

A secretária de Comunicação do Estado, Tânia Moreira, representou o Governo do Estado na abertura do Congresso e em seu pronunciamento destacou a vida longa dos periódicos. Ela frisou que no seu entendimento o jornal vai sempre existir pelo que representou e segue representando no meio da comunicação. Ela também fez um relato das ações de sua pasta na comunicação do Governo, citando mudanças e investidas para integrar todas as secretarias. Ainda anunciou breve campanha governamental que usará os jornais do interior como canal para levar ao interior do Estado a mensagem do governo.

Um dia inteiro de palestras

O Centro Empresarial Vicencio Paludo foi o palco de vários trabalhos na sexta-feira, que não teve feriado para quem foi ao Congresso. Rodrigo Sisnandes Pereira abriu os trabalhos falando sobre educação financeira e apresentando o Família Previência, Fundo de Pensão que passa a ter parceria com a Adjori, facilitando o acesso de todos jornais e assinantes ao plano de aposentadoria. Na ocasião foi assinado convênio entre as partes.

O Secretário Judiciário do Tribunal Regional Eleitoral- TRE, Rogério de Vargas, falou por uma hora sobre as regras de divulgação de propaganda eleitoral, assim como esclareceu todos os cuidados que os jornais devem ter em relação às veiculações.

Rodrigo Amadeu Batistela abordou Planejamento Estratégico nas Organizações, mexendo com a plateia ao questionar sobre o tema. Marcelo Venzon Bugin teve espaço para apresentar o Acqua Lokos Parque Hotel, relatando o empreendimento e suas conquistas ao longo dos anos. O desenvolvimento regional a partir do turismo foi enfoque do Secretário Municipal de Turismo de Nova Prata, Everson Marca, que apresentou o município e seus atrativos aos jornalistas. O pratense Claudio Dilda, ex-presidente da Fepam, falou sobre importância do jornal como canal de defesa do meio ambiente.

O dia de trabalhos foi encerrado com manifestação do presidente da Adjori Santa Catarina, José Roberto Deschamps, diretor do Jornal Metas, de Gaspar, que comentou sobre as dificuldades da comunicação escrita no momento e destacou que mesmo no atual cenário o jornal segue valorizado.

A manutenção dos jornais é de extrema relevância

A professora Beatriz Correa Pinto Dornelles, da Pós-Graduação da PuC/RS, pesquisadora dos jornais e historiadora do jornalismo gaúcho, palestrou o terceiro dia do Congresso de Jornais com uma verdadeira aula da importância dos jornais seguirem vivos em suas comunidades. Ela usou a história da Gazeta de Alegrete como âncora para mostrar o que é um jornal em uma comunidade. "A manutenção dos jornais impressos é muito importante, eles relatam o cotidiano de onde estão inseridos, cada cidade tem sua peculiaridade. O jornal do interior viverá sempre, pois as pequenas cidades são diferentes das grandes metrópoles onde a realidade é outra", disse Beatriz ao se referir aos grandes jornais optarem por plataformas digitais.

Nesse aspecto de modernidade, muitas empresas jornalísticas têm optado por mudarem. Carlos Alberto Balladas, da Adjori São Paulo, levou aos congressistas novos meios comerciais através da TV Indoor. "Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças", frase de Charles Darwin utilizada por Balladas para explicar seu investimento em Santo André(SP).

O Brasil que temos

O senador Lasier Martins foi o último palestrante do Congresso de Jornais, na noite de premiação dos melhores do ano. Ele falou do momento político e econômico atual, abordando a importância do jornal local, que acompanha sua comunidade. Lembrou que a internet criou uma nova era e que todos precisam se inserir nas inovações por necessidade. Lasier comentou que as fake news são uma praga e que nesse ponto os jornais se valorizam pela credibilidade.

Sobre o Brasil, Lasier disse que o país vive uma grande crise em todos os níveis institucionais. Relatou gastos abusivos do Senado e Câmara Federal e a falta de dinheiro do Executivo para alinhar a economia do país, que foi destruída pela corrupção dos governos anteriores. "Tivemos uma roubalheira histórica". Também vê no STF um dos grandes problemas para o Brasil por causa dos ministros serem indicados por processo ideológico, citando a questão da decisão sobre o entendimento da prisão em 2ª Instância como absurda. Lasier destacou que tentou a CPI da Lava-Toga para averiguar o STF e que não conseguiu assinaturas sufucientes por parte dos colegas senadores. Mas que quer retomar o tema. Ele entende que a população precisar ira para a rua cobrar que se persista na prisão de corruptos.

Prêmio Adjori de Jornalismo foi momento especial no Congresso

Em sua 2ª Edição, o Prêmio Adjori de Jornalismo foi um momento especial no encerramento do 56º Congresso de Jornais da Adjori/RS. Criado para ser um motivador e incentivador dos jornais, o Prêmio já no ano passado mostrou sua importância como forma de engrandecer os jornais do interior que assim podem levar suas publicações à avaliação no concurso. A Adjori realiza o Prêmio em parceria com a Faculdade de Comunicação da PUC/RS e Associação Riograndense de Imprensa- ARI, cabendo à Adjori a coleta do material e à Faculdade de Comunicação e ARI o julgamento dos trabalhos.

A revelação dos melhores do ano foi feita pelo presidente da ARI, professo Luiz Adolfo Lino de Souza, como último ato do Congresso da Adjori na noite de sábado, 16. Havia expectativa geral dos participantes em saber quem ia levar troféu. Este ano 12 jornais inscreveram 56 publicações em sete categorias. Além das categorias, os jornais concorreram, no conjunto da obra, aos três primeiros lugares- Troféus Bronze, Prata e Ouro. Antes de revelar os premiados, o professor Luiz Adolfo enalteceu o trabalho dos jornais e conclamou a todos a inscreverem-se no Prêmio de Jornalismo da Adjori/RS. Para o 1º lugar em cada categoria a premiação foi troféu e o 2º e 3º lugares levaram uma Menção Honrosa, além dos troféus maiores para os três melhores do ano.

Os jornais concorreram com trabalhos publicados nos anos de 2017 e 2018. Para o próximo ano valerão trabalhos deste ano de 2019, sendo que a Adjori espera ainda mais participantes e publicações.

Troféu Ouro foi para O Alto Uruguai

O Jornal o Alto Uruguai ganhou o Troféu de Ouro do Jornalismo do Interior. Premiado também em várias categorias, o periódico de Frederico Westphalen esteve representado pelo seu diretor, Francisco Cerutti, que recebeu o troféu máximo do prêmio.

A Folha Espumosense conquistou novamente o Troféu de Prata, um segundo lugar já obtido ano passado. O diretor Delair Francisco Koch recebeu o prêmio.

A Gazeta, de Campo Bom, repetiu a presença entre os melhores. Ano passado havia conquistado o ouro e desta vez o Troféu de Bronze, com seu diretor Mauri Spengler vibrando muito com as conquistas.

Premiação por categorias

Editorial

1º lugar - O Celeiro (Santo Augusto)

2º lugar - Folha Espumosense (Espumoso)

3º lugar - A Gazeta (Campo Bom)

Coluna/Crônica

1º lugar - O Celeiro (Santo Augusto)

2º lugar - A Gazeta (Campo Bom)

3º lugar - Correio Livre (Nova Prata)

Fotografia

1º lugar - O Estafeta (Veranópolis)

2º lugar - Correio Vacariense (Vacaria)

3º lugar - Folha Espumosense

Anúncio

1º lugar - Folha de Santiago

2º lugar - Correio Livre (Nova Prata)

3º lugar - O Estafeta (Veranópolis)

Reportagem

1º lugar - O Alto Uruguai (Frederico Westphalen)

2º lugar - O Estafeta (Veranópolis)

3º lugar - A Gazeta (Campo Bom)

Caderno Temático

1º lugar - O Bom Dia (Erechim)

2º lugar - Jornal de Nova Petrópolis

3º lugar - A Gazeta (Campo Bom)

Apresentação Gráfica

1º lugar - O Alto Uruguai (Frederico Westphalen)

2º lugar - Folha Espumosense (Espumoso)

3º lugar - A Gazeta (Campo Bom)


EDITORIAS

ASSOCIAÇÃO DOS JORNAIS DO INTERIOR DO RIO GRANDE DO SUL

Rua Cel. Fernando Machado, 653, Centro, Porto Alegre - RS  |  (51) 3226-6466  |  CEP: 90010-320